Home Casa Dicas para escolher o imóvel do casal

Se for verdade que quem casa quer casa, para quem vai morar junto com o companheiro, independente do tipo de relação que tenha, a escolha do local onde irão morar é fundamental. Confira dicas para escolher o imóvel do casal e diminuam os problemas relacionados a essa tarefa.

Localização

Se vocês preferirem uma região mais tranquila para morar, recomendo que procurem uma área bem residencial, especialmente longe do Centro. Procurem também fugir da proximidade com estabelecimentos que provocam barulho, como escolas, igrejas e bares, por exemplo.

Se a localização for um ponto essencial para escolher o imóvel do casal, sugiro que visitem a área em todos os momentos do dia, para que vocês conheçam a real situação da região. Por exemplo: pode ser uma área tranquila de dia, mas de grande movimento à noite.

É importante ter serviços básicos na proximidade, como escolas, supermercado, panificadora, ponto de ônibus, farmácia, etc. Certifique-se da distância para evitar grandes deslocamentos.

Como você pode perceber, a localização tem prós e contras: se passar ônibus na frente de sua casa, ótimo. Porém, o ruído provocado pelo veículo é um preço a pagar por essa facilidade, sem contar a poeira constante dentro e fora de casa.

Morar em uma avenida ou rua principal do bairro também é bacana, mas isso geralmente significa congestionamento e trânsito pesado nos horários de pico.

Também recomendo que você se informe na Prefeitura sobre projetos de construção futuros, como viadutos, túneis ou avenidas, situações que podem complicar o trânsito da região.

Outro ponto importante: verifique situações anteriores de alagamento na região, especialmente se sua cidade for famosa por ter chuvas constantes.

Compra de imóveis na planta

comprar-imovel-na-planta

Se vocês decidiram comprar um apartamento e vão escolher o imóvel do casal na planta, devem se atentar para evitar imprevistos e transtornos com algumas situações.

Sugiro que verifiquem se a planta está aprovada na Prefeitura e informem-se detalhadamente sobre a construtora e incorporadora. Recomendo que também analisem os materiais e o padrão de acabamento utilizados, para constatar qualidade no serviço.

Se forem financiar o imóvel, façam isso somente quando tiverem o preço fechado. Assim, somente o valor previsto será cobrado e vocês terão data para entrega determinada.

Você pode não acreditar, mas muitas construtoras anunciam o imóvel sem ter adquirido o terreno ainda. Para evitar problemas, peça o número da incorporação e o registro em cartório da compra do terreno. E verifique a real situação. É inacreditável, mas realmente existe a comercialização dos apartamentos somente com a intenção de compra do terreno.

Contratos podem ter período de carência entre a entrega das chaves e a mudança para o imóvel. Se for o caso de vocês, não se esqueçam de verificar se o período é de dias corridos ou úteis.

Caso a data de entrega do imóvel esteja vinculada ao início das obras, não há garantia sobre data de entrega, é apenas uma pretensão.  Cuidado com esse item para não ter adiamentos.

Compra de imóveis prontos

se-imforme

Por todos esses riscos, muitos parceiros preferem escolher o imóvel do casal já pronto, sem imprevistos com construtoras, apesar de o valor ser mais alto do que apartamentos na planta. Porém, mesmo assim há cuidados.

Se vocês optarem por apartamento, confiram antecipadamente o valor do condomínio. É um valor fixo, independente do financiamento, pago mesmo quando o apartamento já estiver quitado.

Conversem com o síndico do local para saber como é feita a manutenção do espaço, bem como o atual estado de conservação do edifício. Além disso, confira as condições gerais do imóvel que vocês têm interesse, não somente do prédio (dicas abaixo no texto).

Peça para o síndico mostrar a convenção coletiva do condomínio, para que vocês possam conhecer as regras do lugar. Muitos prédios não permitem animais domésticos, por exemplo.

Confirme que não há débitos para esse apartamento, como taxas de água, luz, gás, energia elétrica e condomínio.

Verifique se o apartamento ou casa possui as condições idealizadas pelo casal. Nem sempre uma reforma grande é viável, então vale mais escolher o imóvel do casal em outro local.

Observe se a residência é bem ventilada, qual é a posição do sol pela manhã e se as janelas dão para locais que não favorecem a privacidade, como cômodos de apartamentos vizinhos.

Verifique a largura de portas, escadas e elevador, para garantir que seus móveis possam entrar em sua casa.

Para todas as situações

Verifique se o imóvel está escriturado no Registro de Imóveis da sua cidade. Os dados de registro da moradia devem constar na sua matrícula.

Confira o valor de todas as taxas para aquisição do imóvel, pois geralmente é um valor considerável a pagar, sendo que essa despesa é sua.

Ao escolher o imóvel do casal, não façam pagamentos antecipados sem ter garantia de aquisição. Só comece a pagar valores ao proprietário, à financeira ou à imobiliária mediante aprovação de documentação de compra e venda (ou locação).

Quando assinarem o contrato de compra e venda, bem como de financiamento, se for o caso, exijam uma cópia para análise. Peçam para uma pessoa de confiança, de preferência um advogado, analisar as cláusulas antes de vocês assinarem o documento.

Verifiquem se a área construída e a área do terreno são equivalentes nos órgãos municipais (Prefeitura e Registro de Imóveis) e no carnê do IPTU.

O que vocês não podem deixar de verificar no imóvel

Ao analisar internamente o imóvel, não deixem de verificar as seguintes situações:

– qualidade das portas, do assoalho e dos rodapés;

– estado dos quadros de energia e força;

– se há pontos para instalação para TV a cabo, internet e telefone;

– estado das caixas de fiação;

– estado de conservação dos ralos e dos locais de drenagem;

– se há focos de cupim, formigas ou outros insetos que podem prejudicar seu imóvel;

– estado da fossa, das caixas de passagem e do esgoto;

– estado do telhado, da laje e do acabamento do teto.

Ao escolher o imóvel do casal, verifiquem se a tinta recém-passada pode estar disfarçando vazamentos, umidade, rachaduras, mofo ou apodrecimento de madeiras. Tendo esses cuidados, vocês evitam problemas futuros.

Artigos relacionados
0 715

0 688

Deixe um comentário